segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Cuidados na Ed. Domiciliar - Local de Estudo

Em termos bastante práticos, devemos ter um cuidado todo especial quando escolhemos e/ou organizamos um local específico de estudo para nossas crianças. A ergonomia educacional é algo que, apesar de parecer estritamente técnico, se constituiu como um grande potencializador do processo educativo.
Entretanto, antes de falarmos especificamente sobre os cuidados necessários ao se organizar o espaço educacional, cabe ressaltar que não estamos falando de um lugar que terá a exclusividade do conhecimento. Explico: o conhecimento está em toda parte, e pode ser adquirido em qualquer lugar. Toda criança está constantemente aprendendo, seja na rua, seja em casa, seja no parque, no campinho, no carro, etc. O conhecimento é inerente a todos os seres, objetos e espaços e, portanto, onde quer que a criança esteja, estará apta a apreender informações sobre e através desse local.
É importante que haja um espaço dentro de casa onde a criança terá o momento “oficial” de instrução. Isso é necessário para que o sujeitinho se organize e aprenda sobre os locais adequados para cada atividade. Porém, não podemos restringir o conhecimento/aprendizado a esse local. Devemos estar ensinando o tempo todo: na cozinha, na sala de estar, no banheiro, no jardim, etc. A vida e o cotidiano da criança deve ser uma grande aula que ocorre em diferentes espaços.
Feita essa ressalva, passo a considerar especificamente o espaço oficial de aprendizado”.
Da mesma forma que uma rotina de estudos ensina uma criança a diferenciar os requisitos de diversos momentos do cotidiano, um espaço oficial de aprendizado ensina os pequeninos as diferentes necessidades de locais/espaços dedicados a atividades específicas.
É óbvio que há diversas formas de se organizar um lar, mas, em geral, os espaços existentes e suas funções são, minimamente, entendidos. Há um espaço para dormir, um espaço para comer, um espaço para fazer as necessidades, um espaço para realizar a higiene, etc. Muitas vezes, a um espaço é atribuída mais de uma função, enquanto a mesma função também pode ser atribuída a mais de um espaço. Entretanto, apesar das diferentes formas de organização, sempre há a atribuição de funções aos espaços.
Neste sentido, o local oficial de estudos torna-se mais um dentre os muitos espaços com função específica. É nesse local que a criança irá receber boa parte das instruções, fará pesquisas, exercitará seus conhecimentos, organizará seu material de estudo, etc. Quando precisar meditar, se concentrar, se aprofundar em conhecimentos, esse local será um refúgio, um porto seguro, um espaço do conhecimento onde a criança estará totalmente livre para mergulhar na aprendizagem.
Pode-se aprender na cozinha? Sim! E deve-se! Mas haverá momentos em que a criança deverá estudar em um local onde não haja barulho de louças sendo lavadas, nem cheiros deliciosos para distraí-la de suas tarefas.
Pode-se aprender na sala de estar? Sim! E isso é maravilhoso! Mas, muitas vezes, o sujeitinho precisará ficar longe da tentação da TV para poder se concentrar em algum problema a ser solucionado.
Pode-se aprender no quintal? É evidente! E esse é um espaço excepcional para se aprender muito! Entretanto, haverá situações em que os animais, as plantas e os sons intrigantes dos vizinhos poderão ser um atrapalho grande, interferindo negativamente mais do que positivamente.
Dessa forma, vemos que na diversidade de espaços há diversidade de aprendizado, mas que tudo deve ser dosado e planejado de tal forma que o remédio não se torne veneno pela utilização equivocada.
É interessante notar, inclusive, que crianças ensinadas em casa apontam o espaço oficial de estudo como um dos seus locais preferidos na casa (isso quando não é apontado como o local mais agradável). Deveras, acredito que isso ocorre porque esse é o espaço em que o estudante pode mergulhar profundamente no conhecimento. Não há distrações. Não há atividades diversas. Há somente um objetivo: conhecer. A diversidade de todos os outros espaços do mundo proporciona uma quantidade infinita de informações que serão mastigadas, digeridas e assimiladas ali: no espaço oficial de aprendizado.
Creio que poderíamos passar muito mais tempo falando sobre a importância desse espaço, mas passemos para questões mais práticas: como deve ser esse local?
Uma vez que o espaço oficial de estudos será o ponto de partida para disparar o mecanismo de aprendizagem, e sendo que nele a criança irá “brincar” com os conhecimentos, mexendo e remexendo neles, analisando, assimilando as informações e dando o pontapé inicial para o desenvolvimento de capacidades/competências, é necessário que ele seja escolhido e organizado com muito cuidado, considerando a forma mais eficiente de se potencializar o processo de ensino-aprendizagem.
Neste sentido, vejamos os principais cuidados que deve-se ter ao escolher/preparar um local:

  1. Escolha um lugar SILENCIOSO. Rádio e televisão podem ser ferramentas úteis em vários momentos do aprendizado infantil, entretanto, também podem ser indesejáveis quando se há a necessidade de concentração. Portanto, escolha para seu filho um local de estudo longe desses aparelhos. Evite também locais próximos a telefones e outros aparelhos que possam gerar ruídos (constantes ou súbitos). O silêncio ajuda a maioria das crianças a se concentrar melhor e, assim, assimilar de forma mais efetiva conteúdos mais complexos e/ou teóricos. Mas, ATENÇÃO! Se seu filho não consegue se concentrar sem algum som (como música, por exemplo), seja cuidadoso ao incluir isso nos estudos. Procure evitar músicas com muita variação no ritmo ou na letra, e ajude seu filho a se disciplinar a ouvir a música num som baixo. Caso haja mais de uma criança aprendendo no mesmo espaço, considere a possibilidade de utilizar fones de ouvido para o que gosta de som (mas evite fones intra-auriculares, pois são mais prejudiciais para a audição a longo prazo).

  1. Opte por um espaço BEM ILUMINADO. Uma boa iluminação, não somente evita problemas de visão, como ajuda o educando a ficar mais concentrado e alerta. Se possível, planeje bem o local e o horário de estudos para que seja aproveitada a luz natural. Entretanto, se isso não for possível, escolha um espaço com boa iluminação artificial e analise se não é necessária uma luminária sobre a escrivaninha/mesa para garantir uma boa visão.

  1. Garanta que o local seja BEM VENTILADO. Ar fresco ventilando o tempo todo ajuda a evitar o cansaço mental e o sono. Nunca deixe seu filho estudando em um quarto fechado ou abafado. Garanta que haja uma abertura pela qual o ar possa entrar, e uma outra pela qual ele possa sair. Caso o ar esteja muito seco, coloque uma vasilha com água próxima à escrivaninha/mesa. Se for necessário um ventilador, coloque-o em uma posição que faça o ar circular, mas sem atingir diretamente o espaço de estudos – isso pode fazer com que anotações “voem”, ou que a criança se distraia tendo que segurar páginas para que não virem com o vento.

  1. Ajude seu filho a manter o espaço ORGANIZADO. A organização e a limpeza do espaço em que se estuda são fundamentais. É imprescindível que haja facilidade para se encontrar cadernos, anotações, livros e atividades quando necessário. Por isso, após o período de estudo, a criança deve desenvolver o hábito de organizar o local para que esteja pronto para ser utilizado no próximo dia de estudos. Obviamente, isso será mais difícil com as crianças menores. Entretanto, os pais poderão ajudar esse sujeitinho a aprender como fazer isso e, com o tempo, se disciplinar a manter seu espaço limpo e organizado. Isso não somente ajudará para a potencialização dos estudos, como irá desenvolver uma competência inestimável para a criança, que a utilizará em diferentes momentos de sua vida.

  1. Organize o local de estudo de seu filho para que seja ESTETICAMENTE AGRADÁVEL. Um local oficial de estudos precisa ser prático, mas também deve ser bonito. Um espaço agradável e de boa aparência ajuda a criança a ter mais ânimo e desejo para estudar. Neste sentido, utilize “enfeites” que possam ser utilizados durante o ensino ou que não sejam tão chamativos que possam distrair a atenção do educando. Opte, também, por cores quentes (vermelho, laranja, amarelo), pois estas fazem com que a criança fique mais alerta – diferente das cores frias (azul, lilás), que relaxam e dão sono.

Além desses cuidados necessários para a escolha do local oficial de estudos, outro cuidado que deve-se ter é utilizar uma cadeira e uma mesa/escrivaninha adequadas para evitar a má postura. A cadeira deve ser confortável e manter a coluna reta. Escolha, também, uma mesa que seja compatível com a altura da criança, evitando que ela tenha que se debruçar para ler ou escrever. Os mesmos cuidados devem ser tomados quando o aluno domiciliar irá utilizar computador.
Creio que estas sejam as principais questões que deverão ser observadas quanto ao espaço oficial de aprendizado da criança. Porém, se for necessário, poderemos tratar mais desse assunto no futuro.
Espero que tenha sido útil, e aguardo os comentários de todos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...